sexta-feira, 28 de março de 2008

Educar Filhos

No Jornal La Vanguardia de Madri, hoje tem um texto sobre a punição de país que não educam os filhos. Logo no início diz:Educar e saber dizer "não" é uma tarefa difícil para muitos pais que chegam em casa esgotados. Realmente criar filhos dá trabalho e não é pouco. Qdo era criança nossas mães eram totalmente responsáveis por nossa eduacação. Hoje em dia a maioria das mulheres trabalham e a educação , teoricamente, é dividida. Acontece que, chegar em casa após o trabalho, cansados, e ainda ter que cuidar dos filhos não é fácil e nem sempre é prazeroso. Além da culpa que sentimos em ficar longe deles tanto tempo. Desta forma tentamos compensar sendo mais permissivos. Acontece que estando longe deles tanto tempo deixamos nossas crianças a mercê de outras pessoas que nem sempre podem ou sabem orientá-los, ou vulneráveis a todo tipo de informação que chega através de TV etc. Criar dá trabalho sim, então é bom pensar bem antes de tê-los, porque é trabalho pra toda a vida. É muitíssimo bom mas ... ... ... muito trabalhoso.

No texto do jornal, uma mulher foi condenada a pagar 14 mil euros à vítima agredida por seu filho. O tribunal considerou que ela havia eduacado mal seu filho. Conta ainda que, educar mal é um delito. No caso dos
pais que acreditam que a melhor maneira de criar filhos é deixar fazer o que quiserem, não estabelecer limites, dar o que pedem e não transmitir nenhum tipo de valores e seus filhos provocarem algum problema, principalmente causando mal a outra pessoa, a justiça responsabilizará os progenitores.

Segundo Javier Elzo:
“42% dos pais fazem parte do que ele chama de famílias nominais, ou núcleos familiares permissivos, onde não há regras nem limites porque o que importa é que não haja conflitos. Nesses núcleos, as crianças crescem sem escutar a palavra "não", o que se traduz em fazer sempre o que querem, em crianças mimadas e mal-educadas. O problema é quando elas crescem. Esses pequenos malcriados se transformam em adolescentes agressivos, pela simples razão de que não estão acostumados a ser contrariados.”

Vivemos em uma sociedade em que prima o consumismo. As crianças de hoje têm a sua disposição mais recursos materiais do que qualquer outra geração na história de nosso país, e quase nunca lhes disseram 'não'. Isso quer dizer que interiorizaram os direitos, mas não os deveres", salienta Elzo.

Para Urra:
“É mais fácil deixar fazer do que educar no sentido literal da palavra. Educar significa estar sempre ao pé do canhão e dizer muitas vezes 'não', e isso, em um mundo em que falta tempo e no qual os adultos chegam em casa esgotados, é uma tarefa muito difícil."

“A permissividade da sociedade diante da tirania dos pequenos. Tudo se desculpa porque são crianças, mas o problema é que essas crianças crescem e então não há mais desculpas, mas o dano está feito".

Então, eu sei que dói, mas para o bem de nossos filhos precisamos impor limites para não formamos filhos tiranos e malcriados. O que não vai ser bom para nós e muito menos para eles.Educar, criar, orientar, cuidar é trabalho constante, não se pode ter preguiça ou deixar pra depois.

(Fonte: Jornal La Vanguardia
Texto de Celeste Lópes
Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves )

4 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Concordo plenamente com o texto. É difícil, mas é necessário se não os filhos crescerão com esta noção de que tudo é possível.
Eu mesmo me pergunto se não deveria ser mais rígida, porque a linha é tênue entre ser mais rigorosa e perder a noção do bom senso.
Mas é vivendo que se aprende.
Você já leu o texto Mãe má? eu fiz um posto com ele para o O Futuro do Presente (http://ofuturodopresente.blogspot.com/2007/10/me-m.html) ele resume bem isso.

Beijocas

Geo disse...

É por isso que eu e Rafa ainda não tivemos o nosso filho. Não quero que ele seja criado por babás que passam o dia sentadas no banco conversando enquanto as crianças brincam sem limites e com pouco diálogo (é isso q vejo onde moro). Depois entregá-los em escolas e deixar a cargo dos professores a educação que deveria ser minha.

Geo disse...

Rita, vou alí mas volto... Férias....
Passe lá no blog pra reler as viagens. ehehe

Beijos.

Carol disse...

Rita...
Obrigada pela visita no blog do Coque!
O eterno conflito do limites, realmente é muito difícil, tento não inculcar com isso, minha meta é conversar, conversar e conversar!